Contenido principal del artículo

Cleusa Valério Gabardo
Universidade Federal do Paraná
Brasil
Biografía
Regina Cely de Campos Hagemeyer
Universidade Federal do Paraná
Brasil
Biografía
Vol. 20 (2014): Didáctica de la lectura, Varia, Páginas 219-231
DOI: https://doi.org/10.14201/12571
Aceptado: mar 12, 2015

Resumen

Este artículo se centra en la reformulación de la actual propuesta de la Facultad de Educación de la Universidad Federal de Paraná (Brasil), establecida en 2009, y analiza conceptos, avances y perspectivas de cambio generadas en este proceso. Se ocupa primero de la ambigüedad que marcó la identidad profesional del docente en la historia de la Facultad de Educación en la Educación Superior de Brasil. Se trata de una propuesta anterior en 1996 para superar la formación de cualificaciones en vigor durante el período, apostó por la formación de un educador, organizador de la enseñanza de la escuela trabajo, gerente e investigador. La propuesta actual, emanó de la Directrices Temas para Debate (2005), que destacó una formación del profesorado centrada en las prácticas de enseñanza. Sin embargo, las revisiones sistemáticas del curso, en la UFPR, señalaron la expansión de las operaciones de la unidad docente, dada la inseparabilidad de la enseñanza, la organización y la gestión de los procesos educativos. La formación de un investigador-formador de docentes, agente intelectual y cultural, busca un rendimiento educativo consciente de enfrentar las nuevas configuraciones culturales de la sociedad brasileña contemporánea.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Citas

AGUIAR, M. A. (2000) Os institutos superiores de educação: uma das faces da reforma educacional no Brasil. In V. SGUISSARDI Universidade brasileira no século XXI: desafios do presente (pp. 83-102). São Paulo: Cortez.

ALTHUSSER, L. (1983) Aparelhos ideológicos de Estado. Rio: Graal.

ANDRÉ, M. D. (2010). Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Revista Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, 174-181, set./dez.

COSTA, M. V. (2010) Sobre as contribuições das análises culturais para a formação de professores do início do século XXI. Educar em Revista, n. 37, 129-152, maio/ago. Curitiba: Editora UFPR.

ESTRELA, A. C. (1992) Pedagogia ou ciência da educação? Porto: Porto Editora.

FREITAS, H. (1999) A reforma do Ensino Superior no campo da formação dos profissionais da Educação básica: as políticas educacionais e o movimento dos educadores. Educação e Sociedade, ano XX, n. 66, dezembro, 17-44.

GALLO, S. (2000) Transversalidade e Educação: pensando uma educação não disciplinar. In N. ALVES y R. L. GARCÍA (orgs.) O sentido da escola (pp. 1742). Rio de Janeiro: DP & A. GIMENO SACRISTÁN, J. G. (1998) Currículo: uma reflexão sobre a prática. Porto Alegre: Artmed.

GIROUX, H. (1986) Teoria crítica e resistência. Petrópolis: Vozes.

GIROUX, H. (1997) Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed.

GRAMSCI, A. (1987) Os intelectuais e a organização da cultura. RJ: Civilização brasileira.

HAGEMEYER, R. C. de C. (2006) Função docente e contemporaneidade: fundamentando o processo das práticas catalisadoras. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo.

KÜENZER, A. Z. (2003) As relações entre conhecimento tácito e conhecimento científico a partir da base microeletrônica: primeiras aproximações. Educar em Revista. Dossiê: Educação, cultura e tecnologia. Número Especial, 43-69.

KÜENZER, A. Z. e RODRIGUES, M. F. (2006) As Diretrizes Curriculares para o Curso de Pedagogia: uma expressão da epistemologia da prática. In A. M. M. SILVA et al. (orgs.) Novas subjetividades, currículo, docência e questões pedagógicas nas perspectivas da inclusão social (pp. 185-212). Encontro de Didática e Prática de Ensino, XII ENDIPE. Recife: Edições Bagaço. LIBÂNEO, J. C. (2006) Que destinos os educadores darão à Pedagogia? In S. G. PIMENTA. Pedagogia, ciência da Educação (pp. 107-134). São Paulo: Cortez.

MACEDO, Elizabeth (2006) Currículo como espaço-tempo de fronteira cultural. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, maio/ago.

ROCKUELL, E. (1997) La dinâmica cultural em la escuela. In A. ÁLVAREZ Hacia um currículum cultural: la vigencia de Vygotsky em la educación (pp. 21-38). Madrid: Fundación Infância y Aprendizaje.

SAVIANI, D. (1997) A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. Campinas, SP: Autores Associados.

SAVIANI, D. (1999) A supervisão educacional em perspectiva histórica: da função à profissão pela mediação da idéia. In Naura A. Carapeto FERREIRA (org.) Supervisão educacional para uma escola de qualidade: da formação à ação (pp. 13-38). São Paulo: Cortez.

SAVIANI, D. (2004) O espaço acadêmico da pedagogia no Brasil: perspectiva histórica. Paidéia. Cadernos de Psicologia e Educação, vol. 14, número 28, 113-124.

SCHEIBE, L. (2001) Formação e identidade do pedagogo no Brasil. In Ensinar e aprender: sujeitos, saberes e pesquisa. Encontro Nacional de Didática (ENDIPE). Rio de Janeiro: DP & A editores, 9-22.

SILVA, T. T. (1995) Currículo e identidade social: territórios contestados. In Alienígenas na sala de aula: Uma introdução aos estudos culturais em educação (pp. 185-201). Petrópolis: Vozes.

UFPR (1996) Nova Proposta para o Currículo do Curso de Pedagogia da UFPR.

UFPR (2007) Proposta de reformulação curricular para o curso de pedagogia.