Contenido principal del artículo

Eliseudo Salvino Gomes
Universidade Católica do Paraná – PUCPR
Brasil
José Costa Filho
Argentina
Vol. 4 (2013), Monográfico, Páginas 255-276
DOI: https://doi.org/10.14201/fdp.24756
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

O presente artigo tem a finalidade de discutir diferentes concepções de infância; procurando entender o seu relacionamento na sociedade medieval, avaliando a sua imagem como «o jardim de infância» precocemente inserida no mercado de trabalho. Entretanto, o seu objetivo primordial é apresentar uma breve análise da história da Infância brasileira, considerando o seu conceito de infância, bem como os aspectos da exploração do trabalho infantil, do abuso e exploração sexual infantil e da educação infantil. Destacam-se ademais as influências culturais-econômicas-históricas que podem ser observadas ao longo da estruturação do campo de estudo da Psicologia da Infância e do Direito.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Citas

Abreu, M. (Org.) (2000). Meninas Perdidas. In: Priore, M. História das Crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, pp. 289-316.

Afonso, J. da Silva (2006). Comentário Contextual à Constituição. 3ª. ed. São Paulo: Malheiros.

Almeida, A. P. de (2011). CLT Comentada. 9ª. ed. São Paulo: Saraiva.

Ariès, P. (1978). A História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Guanabara.

Bastos, M. (2001). Jardim de Crianças: o pioneirismo do Dr. Menezes Vieira (1875-1887). In: MONARCHA, Carlos (Org.). Educação da infância brasileira (1875-1983). São Paulo: Autores Associados.

Brasil. (1990). Estatuto da Criança e do Adolescente. Brasília: CBIA.

Brasil. (1996). Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Brasil. Lei n. 12.696, de 25 de julho de 2012. Altera os arts. 132, 134, 135 e 139 da Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), para dispor sobre os Conselhos Tutelares. Diário Oficial da União, Brasília, 26 de julho de 2012.

Brasil. Lei n. 12.015, de 25 de julho de 2012. Altera o Título VI da Parte Especial do Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal, e o art. 1o da Lei no 8.072, de 25 de julho de 1990, que dispõe sobre os crimes hediondos, nos termos do inciso XLIII do art. 5o da Constituição Federal e revoga a Lei no 2.252, de 1o de julho de 1954, que trata de corrupção de menores. Diário Oficial da União, Brasília, 10 de agosto de 2009.

Brasil. Medida Provisória n. 586, de 8 de novembro de 2012. Dispõe sobre o apoio técnico e financeiro da União aos entes federados no âmbito do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de novembro de 2012.

Brasil. Emenda Constitucional n. 59, de 11 de novembro de 2009. Acrescenta § 3º ao art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para reduzir, anualmente, a partir do exercício de 2009, o percentual da Desvinculação das Receitas da União incidente sobre os recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino de que trata o art. 212 da Constituição Federal, dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos e ampliar a abrangência dos programas suplementares para todas as etapas da educação básica, e dá nova redação ao § 4º do art. 211 e ao § 3º do art. 212 e ao caput do art. 214, com a inserção neste dispositivo de inciso VI. Diário Oficial da União, Brasília, 12 de novembro de 2009.

Brasil. Decreto n. 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 6 de dezembro de 2007.

Brasil. Lei n. 11.180, de 23 de setembro de 2005. Institui o Projeto Escola de Fábrica, autoriza a concessão de bolsas de permanência a estudantes beneficiários do Programa Universidade para Todos – PROUNI, institui o Programa de Educação Tutorial – PET, altera a Lei no 5.537, de 21 de novembro de 1968, e a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 26 de setembro de 2005.

Brasil. Lei n. 10.835, de 8 de janeiro de 2004. Institui a renda básica de cidadania e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de janeiro de 2004.

Brasil. Lei n. 10.836, de 9 de janeiro de 2004. Cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 12 de janeiro de 2004.

Brasil. Decreto n. 5.007, de 8 de março de 2004. Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança referente à venda de crianças, à prostituição infantil e à pornografia infantil. Diário Oficial da União, Brasília, 11 de outubro de 1979.

Brasil. Lei n. 10.689, de 13 de junho de 2003. Cria o Programa Nacional de Acesso à Alimentação – PNAA. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de junho de 2003.

Brasil. Lei n. 10.219, de 11 de abril de 2001. Cria o Programa Nacional de Renda Mínima vinculada à educação - «Bolsa Escola», e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 12 de abril de 2001.

Brasil. Medida Provisória n. 2.206-1, de 6 de setembro de 2001. Cria o Programa Bolsa Família e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 10 de setembro de 2001.

Brasil. Lei n. 9.394, de 21 de novembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996.

Brasil. Lei n. 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 de julho de 1990 e retificada em 27 de setembro de 1990.

Brasil. Decreto n. 99.710, de 21 de novembro de 1990. Promulga a Convenção sobre os Direitos da Criança. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de janeiro de 2004.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988. Diário Oficial da União, Brasília 05 de outubro de 1988.

Brasil. Lei n. 6.697, de 10 de outubro de 1979. Institui o Código de Menores. Diário Oficial da União, Brasília, 11 de outubro de 1979.

Brasil. Lei n. 1060, de 5 de fevereiro de 1950. Estabelece normas para a concessão de assistência judiciária aos necessitados. Diário Oficial da União, Brasília, 13 de fevereiro de 1950.

Brasil. Decreto-Lei n. 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de agosto de 1943.

Brasil. Decreto-Lei n. 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial da União, Brasília, 31 de dezembro de 1940.

Capez, F. (2003). Curso de Direito Penal. Vol. I. 6ª. ed. São Paulo: Saraiva.

Cury, M. (Coord) (2005). Estatuto da Criança e do Adolescente Comentado. 7ª. ed. São Paulo: Malheiros.

Custódio, A.; Veronese, J. (2007). Trabalho Infantil: a negação do ser criança e adolescente no Brasil. Florianópolis: OAB/SC Editora.

Dahlberg, G.; Moss, P; Pence, A. (2003). Qualidade na educação da primeira infância: perspectivas pós-modernas. Porto Alegre: Artmed.

Gabinete de Documentação de Direito Comparados. Declaração Universal dos Direitos da Criança de 1959. Disponível em: . Acesso em 12 de fev. 2013.

Fundo das Nações Unidas para a Infância - UNICEF. Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança de 1989. Disponível em: . Acesso em 14 fev. de 2013.

Heywood, C. (2004). Uma história da infância. Porto Alegre: Artmed.

Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas – IPEA. Estadão Online: Mais da Metade dos Alunos do 9º. Ano Querem Trabalhar e Estudar. Disponível em: . Acesso em 15 de fev. de 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE. Censo 2010 – Indicadores Sociais Municipais: uma análise dos resultados do universo do Censo Demográfico. Tabela 31 - Disponível em: . Acesso em 09 de fev. 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE. Censo 2010 - Tabela18 - Taxa de analfabetismo das pessoas de 10 a 17 anos de idade, segundo os municípios pertencentes à região do Semiárido brasileiro - 2010. Disponível em: . Acesso em 03 de fev. 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE. Síntese de Indicadores Sociais. Disponível em: . Acesso em 04 de fev. 2013.

Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. (2007). Código Penal Comentado. 7ª. ed. São Paulo: RT.

Khulmann Jr., M. (1998). Infância e educação infantil – uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação.

Moura, E. (2000). Crianças operárias na recém-industrializada São Paulo. In: PRIORE, M. (Org.). História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, pp. 259-286.

Ministério da Justiça - Portal do Cidadão. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Disponível em: . Acesso em 17 de fev. 2013.

Ministério do Trabalho e Emprego - MTE. Plano de Prevenção do Trabalho Infantil e Proteção ao Trabalhador Adolescente. Disponível em: . Acesso em 05 de fev. de 2013.

Ministério do Trabalho e Emprego - MTE. Quadro Geral das Operações de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo – Sit/Srte 1995-2012. Disponível em: . Acesso em 06 de fev. de 2013.

Ministério do Trabalho e Emprego - MTE. Mapas de Indicativos do Trabalho da Criança e do Adolescente.

Disponível em: . Acesso em 30 de jan. de 2013.

Nucci, G. (2007). Código Penal Comentado. 7ª ed. São Paulo: RT.

Nucci, G. (2010). Código Penal Comentado. 10ª. ed. São Paulo: RT.

Organização Internacional do Trabalho – OIT – Escritório no Brasil. Convenções Ratificadas pelo Brasil. Disponível em: . Acesso em 08 de fev. de 2013.

Priore, M. Del (Org.) (1999). História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto.

Ramos, F. P. (2000). A história trágico-marítima das crianças nas embarcações portuguesas do século XVI. In: PRIORE, M. (Org.). História das Crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, pp. 19-54.

Rizzini, I. (2000). Pequenos trabalhadores do Brasil. In: PRIORE, M. (Org.). História das Crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, pp. 376-406.

Rousseau, Jean-Jacques (1995). Emílio, ou Da educação. Tradução de Elia Ferreira Edel. 3ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Scliar, M. (1995). Um país chamado infância. São Paulo: Ática.

Sociedade Brasileira de Defesa da Criança e do Adolescente; Forum Nacional da Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (2011). CADÊ? Crianças e Adolescentes em Dados e Estatísticas. Brasília: FNDCA.