Contenido principal del artículo

Agnes Iara Domingos Moraes
Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP – Univ. Estadual Paulista, Brasil
Brasil
Biografía
Cláudio Rodrigues da Silva
Faculdade de Filosofia e Ciências, UNESP – Univ. Estadual Paulista, Brasil
Brasil
Biografía
Vol. 25 (2019), Estudios, Páginas 209-221
DOI: https://doi.org/10.14201/aula201925209221
Cómo citar

Resumen

Neste texto tem-se por objetivo apresentar, a partir do filme Dá pra fazer (2008), uma problematização – com aporte de bibliografia e documentos relacionados à temática – acerca da questão do trabalho e da educação escolar para pessoas com diversidade funcional intelectual. A relação entre trabalho e educação é um tema que perpassa a história de alguns dos principais movimentos sociais de trabalhadores desde o momento histórico da Revolução Industrial até a atualidade. No Brasil, políticas inclusivas focadas em pessoas com diversidade funcional intelectual ganham ênfase a partir das duas últimas décadas do século xx, quando, além de garantias legais, são implementadas medidas visando à inclusão de pessoas com diversidad funcional na educação escolar e no mercado de trabalho, questões essas, em alguma medida, inter-relacionadas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Citas

Alves, G. (2011) Trabalho, subjetividade e capitalismo manipulatório - O novo metabolismo social do trabalho e a precarização do homem que trabalha. Revista da ret Rede de Estudos do Trabalho, 4, 1-31.

Antunes, R. (1999) Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo.

Brasil (1988) Constituição da República Federativa do Brasil. Recuperado dia 8 de agosto de 2016, de http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/publicacaoLegislacaoAnotada/anexo/Completo.pdf.

Brasil (1991) Lei n. 8.213, de 24 e julho de 1991. Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências. Recuperado dia 8 de janeiro de 2016, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.htm.

Brasil (1996) Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional n.º 9.394. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Ministério da Educação.

Brasil (2008) Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: mec/secadi.

Caiado, K. R. M. e Meletti, S. M. F. (2011) Educação especial na educação do campo no Estado de São Paulo: uma interface a ser construída. In L. Bezerra Neto e M. C. S. Bezerra (org.) Educação para o campo em discussão: subsídios para o Programa Escola Ativa (pp. 171-185). São José, Brasil: Premier.

Chauveau, G. (1998) L'école du travail dans la pensée ouvrière. Ville École Intégration, 113, 158-171. Recuperado dia 8 de novembro de 2016, de http://www2.cndp.fr/revuevei/chauveau113.pdf.

Echeita, G. e Domínguez Gutiérrez, A. B. (2011) Educación inclusiva. Argumento, caminos y encrucijadas, Aula, Revista de Pedagogía de la Universidad de Salamanca, 17, 23-35.

Freitas, M. A. de S. (2014) Estudantes com deficiência intelectual de jovens e adultos: interfaces no processo de escolarização. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) Universidade Federal de São Carlos, Brasil.

Gohn, M. G. (2011) Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, 16, 333-361. - https://doi.org/10.1590/S1413-24782011000200005

Jannuzzi, G. (1985) A luta pela educação do deficiente mental no Brasil. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

Lorenzo, S. M. (2016) Inserção de pessoas com deficiências no mercado formal de trabalho a partir da percepção dos profissionais de recursos humanos das empresas. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Cie?ncias, Brasil.

Manacorda, M. A. (1992) História da educação: da antigüidade aos nossos dias. São Paulo: Cortez.

Marques, P. (2010) Cooperativas sociais de usuários da saúde mental: Dá pra fazer. Recuperado dia 10 de dezembro de 2016, de http://cursodepsicologiasetrem.blogspot.com.es/2010/09/no-contexto-da-reforma-do-sistema-de.html.

Mazzotta, M. J. S. (2001) Educação especial no Brasil história e políticas públicas. São Paulo: Cortez.

Moraes, A. I. D. (2014) Ensino primário tipicamente rural no Estado de São Paulo: um estudo sobre as Granjas Escolares, os Grupos Escolares Rurais e as Escolas Típicas Rurais (1933-1968). São Paulo: Cultura Acadêmica.

Moraes, A. I. D. e Silva, C. R. (2018) Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Brasil: após quase três décadas... quais as perspectivas? In L. F. Leal e A. I. D. Moraes (org.) Literatura, leitura e escrita: interfaces. Porto Alegre, Brasil: Editora Fi; Tupa?, Brasil: Editora Faculdades faccat, 2018.

Noma, A. K. e Czernisz, E. C. S. (2010) Trabalho, educação e sociabilidade na transição do século xx para o xxi: o enfoque das políticas educacionais. In J. S. Souza e R. Araújo (org.) Trabalho, educação e sociabilidade (pp. 193-210). Maringá, Brasil: Praxis: Massoni.

Oliveira, A. A. S. (2008) Adequações curriculares na área de deficiência intelectual: algumas reflexões. In A. A. S. Oliveira, S. Omote e R. M. Giroto (org.) Inclusão escolar: as contribuições da Educação Especial (pp. 129-154). São Paulo, Brasil: Cultura Acadêmica; Marília, Brasil: Fundepe Editora.

Omote, S. (2013) Atitudes sociais em relação a inclusão: estudos brasileiros. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, 8, 639-649.

Pletsch, M. D. (2010) Repensando a inclusão escolar: diretrizes políticas, práticas curriculares e deficiência intelectual. Rio de Janeiro: Nau & Edur.

Rodríguez Díaz, S. e Vásquez Ferreira, M. Á. (2010) Desde la discapacidad hacia la diversidad funcional. Un ejercicio de dis-normalización. Revista Internacional de Sociología, 68, 289-309. - https://doi.org/10.3989/ris.2008.05.22

Romañach, J. e Lobato, M. (2005) Diversidad funcional, nuevo término para la lucha por la dignidad en la diversidad del ser humano. Recuperado dia 15 de novembro de 2016, de http://www.asoc-ies.org/vidaindepen/docs/diversidad%20funcional_vf.pdf.

Sade, R. M. S. (2017) Apresentação. In R. M. S. Sade (org.) Boas práticas: caminos e descaminos no processo de desinstitucionalização (pp. 7-9). Marília, Brasil: Oficina Universitária; São Paulo, Brasil: Cultura Acadêmica.

Santos, S. N. e Noro, A. (2013) O uso de filmes como recurso pedagógico no ensino da Neurofarmacologia. Interface, 17, 705-714. - https://doi.org/10.1590/S1414-32832013005000021

Schalock, R. L. e Verdugo, M. Á. (2007) El concepto de calidad de vida en los servicios y apoyos para personas con discapacidad intelectual. Revista Española sobre Discapacidad Intelectual, 38, 21-36.

Silva, C. R. (2014) Educac?a?o e trabalho em movimentos sociais: princi?pios educativos transcendentes e comuns ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (mst), aos socialistas uto?picos owenistas e aos cartistas brita?nicos. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Cie?ncias, Brasil.

Silva, C. R. (2015) Nas ondas de uma rádio: a educação como panaceia no discurso de quem diz fazer um Brasil melhor. Espaço Acadêmico, 14, 30-40.

Silva, C. R. et al. (2015) Fechamento de escolas e implicações para a educação dos povos do campo. In N. A. L. Sicca e A. David (org.) Diálogos na educação básica: políticas, currículo e discurso (pp. 29-53). Curitiba, Brasil: crv.

Souza, J. S. (2010) Trabalho, educação e luta de classes na sociabilidade do capital. In J. S. Souza e R. Araújo (org.) Trabalho, educação e sociabilidade (pp. 133-157). Maringá, Brasil: Praxis: Massoni.

Torres, J. C. et al. (2014) Escolas públicas no campo: retrospectiva e perspectivas em um contexto de projetos políticos em disputa. Revista Eletrônica de Educação, 8, 262-272. - https://doi.org/10.14244/19827199962

Torres, J. C. et al. (2015) Educação inclusiva no projeto educacional do mst. Comunicações, 22, 149-164. - https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v22n2p149-164

Filmografia

Dá pra fazer. Direção: Giulio Manfredonia. Intérpretes: Claudio Bisio; Anita Caprioli; Andrea Bosca; Giovanni Calcagno; Micheli de Virgilio; Carlo Giuseppe Gabardini; Pietro Ragusa; Giorgio Colangeli; Giuseppe Battiston e outros. Itália: Rizzoli Film, 2008 (110 min.).