Contenido principal del artículo

Palma Leslie Gorski
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
Brasil
Marques Adriana Silvia
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
Brasil
Salvaterra Flavia Cusin
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
Brasil
Suelen Cesaroni
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
Brasil
Malavasi Mauricio
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
Brasil
Helena Heloisa Caovilla
Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina
FINO 2019, Cancún, México, Comunicación FINO, Páginas 2.6
DOI: https://doi.org/10.14201/orl.20998
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

Introduçao: Migrânea é uma das cefaleias mais frequentes, incapacitantes que interfere muito a qualidade de vida; geralmente está associada com sintomas vestibulares e instabilidade corporal. Objetivo: Analisar o controle postural de pacientes com migrânea vestibular. Método: Um grupo experimental de 31 pacientes com diagnóstico médico de migranea vestibular no período intercrítico e um grupo controle de 31 indivíduos hígidos, pareado quanto à idade e sexo, foram submetidos à Posturografia do Tetrax Interactive Balance System (Tetrax IBS) em oito condiçoes sensoriais. Os parâmetros avaliados foram: índice de estabilidade -- afere a quantidade de oscilaçao, estabilidade global e habilidade para compensar modificaçoes posturais; índice de distribuiçao de peso -- compara os desvios na distribuiçao do peso; índice de sincronizaçao -- mensura a simetria na distribuiçao de peso; frequência de oscilaçao postural -- indica a faixa de frequência com mais oscilaçao; e índice de risco de queda -- exprime a probabilidade de ocorrerem quedas. Resultados: O índice de estabilidade foi maior no grupo experimental em todas as oito condiçoes, com diferença significante entre os grupos em seis delas. O índice de distribuiçao de peso foi maior no grupo experimental em todas as condiçoes, com diferença significante em três delas. O número de casos com oscilaçao preferencial em F2-F4 foi significantemente maior no grupo experimental em três condiçoes e em F5-F6 em duas. O índice de risco de queda foi significantemente maior no grupo experimental do que no controle. Conclusao: Instabilidade postural, alteraçoes na distribuiçao de peso, faixas de oscilaçao postural e risco de queda caracterizam o comprometimento do controle postural em pacientes com migrânea vestibular. III. Tópico 04 Posturografia

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Artículos más leídos del mismo autor/a