Ciudad, patrimonio e industria cultural: el polo cinematográfico de Santa Efigenia en cuestión

Herta FRANCO

Resumen


El trabajo propuesto analiza la importancia del polo cinematográfico de Santa Efigenia, en São Paulo, como patrimonio cultural. Situado en los alrededores de las estaciones de ferrocarril de la Luz (1888-1900) y Sorocabana (1925-1938), el polo fue responsable de la producción de películas de diversos géneros entre los años 1960 y 1980, llegando a alcanzar cerca del 60% de la producción nacional. También conocido como “Cine de la Boca”, era realizado de modo “artesanal”, fuera de los grandes estudios, encontrando en la calle del Triunfo un espacio privilegiado para las relaciones de trabajo y de sociabilidad. Se trata de un bien cultural directamente ligado a la historia del cine brasileño, a la consolidación de la industria cultural de São Paulo entre los años 1910 y 1980, ejemplificando la estrecha relación de ésta con el transporte ferroviario a lo largo del siglo XX.


Palabras clave


Patrimonio cultural; Cine de la Boca; Industria Cultural; ferrocarril.

Texto completo:

PDF (Português )

Referencias


Abreu, N. (2015). Boca do Lixo: cinema e classes populares. São Paulo: UNICAMP.

Arruda, M. A. (2001). Metrópole e cultura: São Paulo no meio do século XX. Bauru: EDUSC.

Autran, A. (2013). O pensamento industrial cinematográfico brasileiro. São Paulo: HUCITEC.

Bernardet, J. C. (1990). O Bandido da Luz Vermelha. São Paulo: FDE.

Bernardet, J. C.; Avellar, J. C. & Monteiro, R. (1979). Anos 70. Rio de Janeiro: Europa Edit. Ltda.

Campos, C. M. (2002). Os rumos da cidade: urbanismo e modernização em São Paulo. São Paulo: SENAC.

Canclini, N. (1994). O patrimônio cultural e a construção imaginária do nacional. Revista do Patrimônio histórico Artístico Nacional, 23, 94-111.

Candeias, O. (2002). Uma rua chamada Triumpho (2ª ed.). São Paulo: IMESP.

Canuto, R. (Org.). (2007). Rogério Sganzerla - Encontros. Rio de Janeiro: Beco do Azougue.

Cattani, A. (2004). História do cinema brasileiro: 4 ensaios. São Paulo: Panorama.

César, R.; Franco, L. & Bruna, P. (1977). Área da Luz: renovação urbana em São Paulo. São Paulo: Perspectiva

Cine jornal (1981). Desempenho do Cinema Brasileiro 1976/1978. Embrafilme, 2.

Coelho, R. (Org.). (s. d.). Mostra Jairo Ferreira: cinema de invenção. São Paulo: CCBB/Minc.

Ferreira, J. (2016). Cinema de invenção. São Paulo: Azougue.

Ferreira, J. (s. d.). Udigrudi: os marginais do cinemão brasileiro. Em R. Coelho (Org.). Mostra Jairo Ferreira: cinema de invenção. São Paulo: CCBB/Minc.

Folha de S. Paulo (1986, 28 de março). São Paulo.

Franco, H. (2013). Políticas de preservação e construção da memória urbana: o caso de Santa Efigênia (SP). Revista CPC, 16, 7-35. - https://doi.org/10.11606/issn.1980-4466.v0i16p7-35

Franco, H. (2017). Cinema, estigmatização territorial e história urbana: "O Bandido da Luz Vermelha" e a Boca do Lixo em São Paulo. Revista urbana, 2, 297-317. - https://doi.org/10.20396/urbana.v9i2.8648430

Gamo, A. (s. d.). Trajetórias que se cruzam: A. P. Galante, Maristela e Boca do Lixo. Disponível em [http://www.portalbrasileirodecinema.com.br/galante/ensaios/02_01.php]. Consultado [15-07-2017].

Joanides, H. (1977). Boca do lixo. São Paulo: Ed. Populares.

Kara-José, B. (2007). Políticas culturais e negócios urbanos: a instrumentalização da cultura na revalorização do Centro de São Paulo 1975-2000. São Paulo: Annablume.

Le Corbusier (1993). A Carta de Atenas. São Paulo: EDUSP.

Lipovetsky, G. & Serroy, G. (2015). A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Cia das Letras.

Marins, P. (2012). Do Luz Cultural ao Monumenta: sobre a opção pela escala monumental na preservação de uma área de São Paulo. Em D. Baptista & C. Gagliardi. Intervenções urbanas em centros históricos: Brasil e Itália em discussão (pp.145-170). São Paulo: EDUC, CAPES.

Meyer, R. M. (Org.). (2000). Pólo Luz. Sala São Paulo, cultura e urbanismo. São Paulo: Terceiro Nome.

Nakano, A. K., Campos Neto, C. M. & Rolnik, R. (2004). Dinâmicas dos subespaços da área central de São Paulo. Em N. Somekh & A. Comin (Org.). Caminhos para o centro: estratégias de desenvolvimento para a região central de São Paulo. São Paulo: PMSP/CEBRAP.

Nora, P. (1993). Entre história e memória: a problemática dos lugares. Revista Projeto História, 10, 7-28.

Paiva, M. C. (2012). O patrimônio cultural do ABC Paulista: horizontes possíveis nas políticas municipais de preservação (2012). Revista CPC, 14, 1-187.

Ramos, F. & Miranda, F. (Orgs.). (2000). Enciclopédia do Cinema brasileiro. São Paulo: SENAC.

Ramos, F. (1987). Cinema marginal (1968/1973): a representação em seu limite. São Paulo: EMBRAFILME/Ministério da Cultura/Brasiliense.

Ramos, J. M. O. (1987). O cinema brasileiro contemporâneo (1970-1987). Em Ramos, F. (Org). História do cinema brasileiro. São Paulo: Art Editora.

Santoro, P. (2005). A relação da sala de cinema com o espaço urbano em São Paulo: do provinciano ao cosmopolita. Disponível em [http://www.xienanpur.ufba.br/611.pdf]. Recuperado de [20-07-2017].

Silva Neto, A. L. (2011). Dicionário de filmes brasileiros. São Paulo: IBAC/MinC.

Simões, I. F. (1981). O imaginário da Boca. São Paulo: SMC.

Simões, I. F. (1990). As salas de cinema em São Paulo. São Paulo: PW.

Souza, J. I. (2016). Salas de cinema e história urbana de São Paulo (1895-1930): o cinema dos engenheiros. São Paulo: SENAC.

Sternhem, A. (2005). Cinema da Boca: dicionário de diretores. São Paulo: IMESP, Fundação Padre Anchieta.

Teles, A. A. (2012). Ozualdo Candeias na Boca do Lixo: a estética da precariedade no cinema paulista. São Paulo: EDUC/FAPESP.

Xavier, I. (2001). O Cinema Marginal revisitado ou o avesso dos anos 80. Em E. Puppo & V. Haddad (Org.). Cinema Marginal e suas fronteiras. São Paulo: CCBB.

Xavier, I. (1993). Alegorias do subdesenvolvimento. São Paulo: Brasiliense.

Xavier, I. (2001). O cinema brasileiro moderno. São Paulo: Paz e Terra.




DOI: http://dx.doi.org/10.14201/reb2019612189203

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.